sábado, 27 de novembro de 2010

O SÁBADO SENDO SABATINADO EM UM DIA DE SÁBADO!

O antigo testamento possui 613 mandamentos que compõem os cinco primeiros livros da bíblia, também conhecido em hebraico por Torá, e em grego por Pentateuco. As leis mais detalhadas do antigo testamento estão nos livros do Êxodo, Levítico e Deuteronômio.

No Antigo testamento, Deus apresenta-se ao povo como o Deus desconhecido “Eu sou”, e começa a dar diretrizes básicas para a vida social, civil e religiosa do povo de Israel. As primeiras leis foram dadas por Deus, como os 10 mandamentos (Êxodo 20), por intermédio do profeta Moisés. Após o decálogo (10 mandamentos), Moisés continua a elaborar as leis que norteariam a vida do povo de Israel. Vale lembrar, que boa parte destas leis contidas principalmente em Levítico, foram adaptadas da antiga e primeira lei da humanidade, conhecida como Lei de Talião (ou Código de Hamurabi), ex: “Olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé,; Ex. 21.24”.

Para toda e qualquer ação do ser humano havia uma lei, desde suas necessidades fisiológicas, a vida religiosa. Mas a grande temática desta lei, era sem dúvida em relação a vida religiosa, pois cumprir a Lei era sinônimo de bênçãos, Deuteronômio 28 “E SERÁ que, se ouvires a voz do SENHOR teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que eu hoje te ordeno, o SENHOR teu Deus te exaltará sobre todas as nações da terra.” O grande problema de Israel foi realmente esse, de não cumprir os mandamentos de Deus, no tocante a fidelidade para com Ele. O mandamento mais descumprido do A. T., foi sem dúvida o do Êxodo 20.3.4.5, ou seja, ora o povo de Israel servia a Deus, ora servia a outros deuses e se inclinavam após eles, e desta forma vinha o juízo de Deus sobre o povo de Israel. Se fossemos resumir a história de Israel no A. T. seria esta: Ora o povo estava servindo e sendo fiel a Deus, e sendo abençoado por Ele; ora estava servindo a outros deuses e sendo castigado por Deus (YAWEH, JEOVÀ). Em todo o A. T., vemos a mesma história, “e fez o que era mal aos olhos do Senhor”, consulte o livro das Crônicas.
Assim sendo, todo e qualquer bom judeu ou israelita deveria guardar a lei, pois era indispensável para servir a Deus. E hoje, guardamos a Lei? É preciso? Todos os mandamentos? Alguns? Quais? Por quê?

Vejamos:

Jesus disse: "Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim revogar, mas cumprir." (Mateus 5: 17). Jesus sendo judeu (Jo 4.22) era óbvio que deveria cumprir a lei, e o que de fato fez. Mas a grande temática do Novo Testamento é: A Lei x a Graça, ou seja, Jesus veio inaugurar o Reino de Deus ou o Reino dos Céus, confrontando aspectos da Lei sob a tutela dos Fariseus. Os Fariseus eram os religiosos da época (sacerdotes), que tinham as obrigações para com o templo, e logo com a Lei de Moisés. O grande problema é que os sacerdotes (Fariseus) não entenderam, não conheceram o reino messiânico e nem aceitaram Jesus como o Messias esperado (Salvador). Desde o gênesis as profecias apontavam para Jesus Cristo, como sendo o Messias (Salvador) "O SENHOR teu Deus te levantará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, como eu; a ele ouvireis;" (Deuteronômio 18:15), mas por um propósito divino a classe sacerdotal não aceitou Cristo como messias, e logo o condenaram, bem como suas práticas e suas doutrinas, "A este que vos foi entregue pelo determinado conselho e presciência de Deus, prendestes, crucificastes e matastes pelas mãos de injustos;" (Atos 2 : 23).

Desta forma, Jesus tornou-se um inimigo dos Fariseus, pois interpretavam que Jesus não era de fato o Cristo, por isso perseguiam-no tentando achar ocasião par incriminá-lo, para que Este fosse crucificado. “Dize-nos, pois, que te parece? É lícito pagar o tributo a César, ou não? Jesus, porém, conhecendo a sua malícia, disse: Por que me experimentais, hipócritas? Mostrai-me a moeda do tributo. E eles lhe apresentaram um dinheiro. E ele diz-lhes: De quem é esta efígie e esta inscrição? Dizem-lhe eles: De César. Então ele lhes disse: Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. E eles, ouvindo isto, maravilharam-se, e, deixando-o, se retiraram” Mt 22.17.22. As passagens são inúmeras onde retratam o confronto entre Jesus e os Escribas e Fariseus, e Jesus condenou veemente a conduta dessas classes, pois eram homens que não viviam o que pregavam, ou seja, eram os hipócritas, cobravam toda a Lei do povo (fardo pesado), mas eles não cumpriam a Lei como deveriam. "Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que fechais aos homens o reino dos céus; e nem vós entrais nem deixais entrar aos que estão entrando. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que devorais as casas das viúvas, sob pretexto de prolongadas orações; por isso sofrereis mais rigoroso juízo. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que vós”. (Mt. 23.13-15). Assim, para nós hoje, o termo “Fariseu” tornou-se uma conotação má (pejorativo), ou seja, se alguém nos chamar de Fariseu, está nos dizendo que não vivemos o que pregamos.

Nos evangelhos então vemos a disputa entre Jesus e os Fariseus. Jesus de um lado mostrando empiricamente que era o Filho do Homem; e os Fariseus do outro cobrando uma exaustiva Lei de 613 mandamentos que nem eles mesmos cumpriam, mas que cobravam do povo. Assim, qualquer ação de Jesus que não estivesse em consonância com a Lei seria considerada uma blasfêmia para os Fariseus. Os Fariseus cobravam a Lei, e Jesus cobrava o Amor.

Logo, a situação em questão aqui é a do Sábado. Elemento da Lei, que deveria ser cumprido à risca no qual Jesus encontrou problema:

 “NAQUELE tempo passou Jesus pelas searas, em um sábado; e os seus discípulos, tendo fome, começaram a colher espigas, e a comer. E os fariseus, vendo isto, disseram-lhe: Eis que os teus discípulos fazem o que não é lícito fazer num sábado. Ele, porém, lhes disse: Não tendes lido o que fez Davi, quando teve fome, ele e os que com ele estavam? Como entrou na casa de Deus, e comeu os pães da proposição, que não lhe era lícito comer, nem aos que com ele estavam, mas só aos sacerdotes? Ou não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa? Pois eu vos digo que está aqui quem é maior do que o templo. Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis os inocentes. Porque o Filho do homem até do sábado é Senhor. E, partindo dali, chegou à sinagoga deles. E, estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada; e eles, para o acusarem, o interrogaram, dizendo: É lícito curar nos sábados? E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que tendo uma ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará mão dela, e a levantará? Pois, quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É, por conseqüência, lícito fazer bem nos sábados. Então disse àquele homem: Estende a tua mão. E ele a estendeu, e ficou sã como a outra.  E os fariseus, tendo saído, formaram conselho contra ele, para o matarem”. Mt.12.1-14.

Jesus não estava dizendo que a Lei era má, ou que Ele queria revogar o cumprimento de se guardar o sábado, Ele queria dizer que o Amor a Deus e ao próximo, era maior que o sábado, e que boas ações como a demonstração de Amor ao próximo eram feitas também no sábado, e eram condenadas pelos Fariseus. Jesus disse: “Todas as coisas me foram entregues por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar. Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”  Mt.11.27-30. O Fardo  qual Jesus se referia era justamente o da Lei, ou seja, os Fariseus colocavam um fardo pesadíssimo (cobrança da Lei) ao povo, e não viviam o Amor a Deus e ao Próximo.

“E um deles, doutor da lei, interrogou-o para o experimentar, dizendo:  Mestre, qual é o grande mandamento na lei? E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas” Mt 22.35-40. Aqui está o tema central do Novo Testamento, que os Fariseus não entenderam nem aceitaram, nem mesmo ainda hoje, alguns de nós.

Paulo vai dizer: “IRMÃOS, o bom desejo do meu coração e a oração a Deus por Israel é para sua salvação. Porque lhes dou testemunho de que têm zelo de Deus, mas não com entendimento. Porquanto, não conhecendo a justiça de Deus, e procurando estabelecer a sua própria justiça, não se sujeitaram à justiça de Deus. Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê” Romanos 10.1-4. Paulo demonstra que os judeus não conheceram a justiça de Deus através de Cristo, e enfatiza: o fim da lei é Cristo.

Se a bíblia afirma que o fim da Lei é Cristo, porque então devemos guardar a Lei? E se guardamos, guardamos toda a Lei? Ou somente alguns aspectos da Lei. Tiago afirma: "Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos." (Tiago 2:10). Se queremos observar a Lei, devemos cumprir todos os 613 mandamentos que nela contém, senão seremos culpados de todos.  

> Se queremos guardar a Lei, então não só podemos guardar o sábado e esquecer dos demais mandamentos como: “Mas a mulher, quando tiver fluxo, e o seu fluxo de sangue estiver na sua carne, estará sete dias na sua separação, e qualquer que a tocar, será imundo até à tarde. E tudo aquilo sobre o que ela se deitar durante a sua separação, será imundo; e tudo sobre o que se assentar, será imundo”. Lv 15.19-20. A mulher no A. T., no seu período menstrual deveria se retirar-se por 7 dias do arraial, até que acabasse seu ciclo, pois era considerada imunda. Logo, se cumprimos a Lei hoje, toda mulher em seu período menstrual, deve se retirar de casa.

> Se queremos guardar a Lei, então não só podemos guardar o sábado e esquecer dos demais mandamentos como: “E no dia oitavo se circuncidará ao menino a carne do seu prepúcio”. Lv. 12.3. Logo, se cumprimos a Lei hoje, toda a criança deve ser circuncidada (semelhante a operação de fimose) ao oitavo dia. 

> Se queremos guardar a Lei, então não só podemos guardar o sábado e esquecer dos demais mandamentos como: “Quando alguém tiver um filho contumaz e rebelde, que não obedecer à voz de seu pai e à voz de sua mãe, e, castigando-o eles, lhes não der ouvidos, Então seu pai e sua mãe pegarão nele, e o levarão aos anciãos da sua cidade, e à porta do seu lugar; E dirão aos anciãos da cidade: Este nosso filho é rebelde e contumaz, não dá ouvidos à nossa voz; é um comilão e um beberrão. Então todos os homens da sua cidade o apedrejarão, até que morra; e tirarás o mal do meio de ti, e todo o Israel ouvirá e temerá. Dt 21.20-21. Logo, se cumprimos a Lei hoje, o que seriam dos filhos de hoje?

> Se queremos guardar a Lei, então não só podemos guardar o sábado e esquecer dos demais mandamentos como: “Também o homem que adulterar com a mulher de outro, havendo adulterado com a mulher do seu próximo, certamente morrerá o adúltero e a adúltera” Lv. 20.10. Logo, se cumprimos a Lei hoje, o que seriam das traições? Compare o que Jesus fez em João 8.1-11.

Os exemplos são inúmeros, e gastaríamos tempo e papel para descrevê-los. O fato é que estamos vivendo no tempo da graça e queremos novamente voltar a Lei. Paulo diz: “Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las. E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé. Gl 3.10-11. Continua: “ESTAI, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão. Eis que eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará. E de novo protesto a todo o homem, que se deixa circuncidar, que está obrigado a guardar toda a lei. “Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído”. Gl. 5.1-4.  A carta aos Gálatas resume todo nosso pensamento, e vale apena ler e analisar o que Paulo estava combatendo.
"E Jesus, Respondendo, disse-lhes: Porventura não errais vós em razão de não conhecerdes as Escrituras nem o poder de Deus?" - Mc. 12.24 -  Deus nos abencoe!

Artigos Relacionados

Um comentário:

  1. querido irmão, no começo fiquei impressionado e feliz pelo conhecimento que você demonstrou das escrituras, respeito muito sua opinião, mas vejo que você teve alguma dificuldade para separar leis cerimoniais, leis de saúde, leis cívicas e a lei Moral (Os 10 mandamentos)esta escrita pelo próprio Deus. As leis cívicas e de saúde, por exemplo, foram criadas para a época pois o povo acabara de sair de uma escravidão de 400 anos, então as leis eram necessárias para se reformarem como uma nação. As leis cerimoniais, ou messiânicas estas sim terminam em Jesus, pois seu objetivo é findo com o sacrifício perfeito, o Cordeiro de Deus, veio tirar o pecado do mundo, mas a lei moral, esta não termina, esta é eterna, pois Deus não muda, O Senhor não fala uma coisa agora e outra depois, a palavra de Deus é eterna. O tempo da graça é este, mas agora te pergunto, oque é o pecado senão a transgressão da lei, mas que lei? Então se não há lei não há pecado, correto? Se não há pecado, então o sacrifício de Jesus foi em vão, correto? Veja quão absurdo seria pensarmos desta forma, não é mesmo?
    Pois bem meu querido irmão, as 613 leis foram criadas por homens, assim como a adoração de imagens, o culto aos mortos, a guarda do domingo, etc... pense nisso," onde abundou o pecado, superabundou a graça", não há graça sem pecado e não há pecado sem lei.
    Deus te abençoe.
    Ferrari.joao@hotmail.com

    ResponderExcluir