segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

MEU PASTOR É SHOW!

É comum hoje em dia ouvirmos a expressão: “Meu pastor é show”, frase propagada em uma edição da revista Veja. E isso se dá não por acaso, mas sim para sublinhar a mudança do paradigma pastoral atual, onde o pastor não é mais o pregador do Jesuiso, ou do Deuso, ou seja, deixou de ser leigo. Era comum há vinte anos ou menos atrás, reuniões embaixo de palhoças onde o que de fato importava era somente saber se “A palavra estava sendo pregada”, não importando questões estruturais, litúrgicas, ou homiléticas. A igreja mantinha seus membros primeiro por causa da graça de Deus, e segundo pela figura do seu pastor, onde se dizia: “Ele não tem nem a quarta série, mas é um homem de Deus”.
Mas com a transformação da sociedade, com o advento dos meios de comunicações, e a facilidade para se obter um diploma, muda-se a cara da Igreja, bem como do seu pastor (isso falando de um modo geral, fato presenciado por mim, no interior). Se a igreja atual se adaptou a modernidade, é óbvio que seu líder (Pastor) também o fez. Ter um bacharelado em Teologia é o básico e o mínimo para o ministério Pastoral, e o pastor não para por ai, está se reciclando, fazendo pós-graduações, e outros cursos voltados a ciências humanas e sociais etc. O Pastor atual em nada deixa a desejar no requisito formação, em relação a outros profissionais.
Mas essas transformações levaram o pastorado atual a ir além do púlpito. Hoje temos o Pastor-Professor (meu caso); Pastor-Psicólogo; Pastor-Advogado; Pastor-Empresário etc., os exemplos são vários. O Pastor atual é agora uma figura “importante” na sociedade (não que antes não fosse), pois outros créditos lhe são atribuídos além do ministério, e assim as ovelhas estão bem representadas pelo seu líder, a ponto de colocá-lo em um patamar privilegiado.
Contudo, devemos analisar quais são os aspectos positivos e negativos do pastor bivocacionado. A primeira questão a ser analisada é o contexto em que este pastor está inserido.  Ou seja, é necessário manter uma segunda vocação? Se for por conta de questões financeiras, a resposta pode ser sim. Segundo, a sua vocação secular irá atrapalhar seu ministério? Terá tempo suficiente no cuidado de suas ovelhas? Terá tempo para sua vida devocional (orações e estudo)? Conheço pastores que trabalham o dia inteiro, e chegam em casa somente para tomar banho pegar a bíblia e ir para o púlpito. Se o caso for esse, creio que ser bivocacionado não será uma boa idéia ou alternativa. Mas como exceção a regra, falo do meu exemplo: Na igreja em que pastoreei ano passado, trabalhavamos em dois pastores, e um atendia de manhã e o outro à tarde, dessa forma sobrava um tempo para cada um de nós desenvolver uma outra função. Se assim for, creio que o ministério bivocacional pode funcionar muito bem.
O aspecto positivo do ministério bivocacional é: Poder ir além dos muros da igreja, sendo também reconhecido como um importante profissional secular.
Já o aspecto negativo é: Acabar tendo que dividir o tempo pastoral em atividades seculares, deixando seu rebanho a mercê do contato pastor-ovelha. Se esse for o caso, creio que o melhor mesmo, é ter um tempo integral para a obra de Deus, e o rebanho a nós confiado.

Deus nos abençoe! 

Artigos Relacionados

2 comentários:

  1. Muito interessante seu texto jean, o parágrafo final foi o que mais me chamou a atenção porque ele confirma 2 versículos na bíblia.

    1Cor 15:1-2 "Também vos notifico, irmãos, o evangelho que já vos tenho anunciado; o qual também recebestes, e no qual também permaneceis.
    Pelo qual também sois salvos se o retiverdes tal como vo-lo tenho anunciado; se não é que crestes em vão."

    O versiculo 2 quando diz "SE O RETIVERDES..." me leva crer que a incredulidade tambem assola os "crentes", e eu pergunto como se retem o que foi anunciado?

    RM 10:17 "De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus."

    e isso me leva a crer que uma igreja forte na fé é uma igreja aonde exista o contato pastor-ovelha, o qual nao so anuncia de pulpido as verdades de Deus, mas tambem vivendo as verdades ali escritas e cuidando com a vida aquilo que lhe foi confiado, a igreja.

    abração, fica na paz

    ResponderExcluir
  2. Amor, vc esqueceu de falar do pastor quadrivocacionado: Pastor/professor/esposo/pai, esse é vc, rs!

    Parabéns, mais um ótimo texto....
    Te amo

    ResponderExcluir